quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

FONTANÁRIO DOS LAVRADORES

Da amiga e artista Helena Ramos, acabo de receber este trabalho a carvão em que está expresso o Fontanário do Largo dos Lavradores (junto ao mercado). Trata-se de um desenho A3, a adicionar à minha colecção de aguarelas. Os meus agradecimentos!

sábado, 26 de dezembro de 2009

TELAS DA MADEIRA - ELLA AND FLORENCE DU CANE






Ella du Cane e Florence du Cane, pintaram a flora da Madeira com um encanto que nos surpreende ainda hoje.





TELAS DA MADEIRA - EDUARD HILDEBRANDT



O grande pintor alemão Eduard Hildebrandt, esteve na Madeira no séc. XIX. Alvo de pesquisa para um artigo na Revista Iharq, por parte de Eberhard Wilhelm, podemos ver dois óleos relativos à Madeira.

TELAS DA MADEIRA - PAOLO KUTSCHA





Muitos são os artistas que ao longo dos tempos têm pintado a Madeira. Através das suas telas, podemos ver também a evolução ao longo dos tempos do nosso Arquipélago.
Paolo Kutscha foi um pintor suiço que deixou o seu traço, a sua cor e beleza em trabalhos preferencialmente a óleo.

sábado, 19 de dezembro de 2009

BAZAR DO POVO

Cartaz publicitário pintado por Max Römer - col. CAM

Falar do Bazar do Povo dispensa apresentações! Esta casa comercial da cidade do Funchal é uma verdadeira institução histórico-patrimonial madeirense. Nesta época natalícia, o Bazar transformava-se numa autentica loucura para as compras da festa.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Käthe Kollwitz


Kopf eines Kindes in der Händen der Mutter
I like so much this draw

Belgium War Photos - To remember forever



Fotos de Solange, enviadas da Bélgica. Palavras não serão necessárias. O homen primeiro faz a guerra, depois procura a paz... o ser humano não conseguiu atingir ainda um patamar de perfeição!

A poem from Yourcenar


Thank's very much Dear Friend Solange for your gift - Belgique

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

MARGUERITE YOURCENAR ESTEVE NA MADEIRA EM 1960

Marguerite Yourcenar esteve na Madeira em Janeiro de 1960 durante duas semanas.
Aproveitando a sua visita, a Alliance Française à Madére, organizou uma conferência sob o título "Fonction et Responsabilités du Romancier".
O Dário de Noticias do Funchal, destaca uma pequena reportagem sobre a mesma.
"Com uma limpidez de linguagem verdadeiramente elegante e uma dicção fluente e perfeita. Marguerite Yourcenar dissertou ontem na sede da Alliance Française, sobre Fonction et Responsabilités du Romancier".
Tratando do romance universal desde as suas origens mais remotas, mas incidindo, particularmente sobre o romance francês, Mme. Yourcenar seguiu uma trajectória regular e precisa, que conduziu directamente ao tema principal da sua brilhante conferência.
Romancista ela própria, mas também ensaísta e critica literária, Marguerite Yourcenar possui, na realidade a experiência pessoal, a clarividência e a objectividade necessárias à discussão do tema proposto.
O seu processo de comunicação com o público dá, a cada pessoa, a sensação agradabilíssima de sentir-se a única ouvinte de um magnífico monólogo. A clareza da frase, a tranquila veemência das afirmações, a subtiliza da sugestão, a agudeza da análise, o dominio completo do assunto que nunca permite afirmações gratuitas - tudo isto fez de Mme Yourcenar uma conferencista admirável."
Eis alguns titulos da sua vasta obra, que tanto aprecio.

Le jardin des chimères (1921)
Alexis ou le Traité du Vain Combat (
1929
, novel)
La nouvelle Eurydice (
1931
, novel)
Denier du Rêve (
1934
, novel, A Coin in Nine Hands)
Feux (
1936
, poetry, Fires)
Nouvelles orientales (
1938
, short stories, Oriental Tales)
Les songes et les sorts (
1938
)
Le Coup de grâce (
1939
, novella)
Mémoires d'Hadrien (
1951
, novel, Memoirs of Hadrian)
Électre ou La chute des masques (
1954
)
Souhs Bénéfice d'Inventaire (
1962
, essays, The Dark Brain of Piranesi)
L'Oeuvre au noir (
1968
, novel, The Abyss)
Souvenirs Pieux (
1974
, memoir)
Fleuve profound, sombre rivière (
1973
, poetry)
Archives du Nord (
1977
, memoir)
Le cerveau noir de Piranese (
1979
, essay)
Mishima ou la vision du vide (
1980
, essay)
Le Temps, Ce Grand Sculpteur (
1983
, essays, That Mighty Sculptor, Time)
Quoi?
L'Éternité (
1988, memoir