domingo, 8 de setembro de 2013

O RINQUE DE SOLANO

Não consegui identificar o autor desta foto

O RINQUE DE SOLANO


Teria os meus sete anos, quando descobri pela primeira vez o hóquei em patins. Se é certo que por vezes ouvíamos na telefonia, os relatos de Europeus e Mundiais em que participava a seleção nacional, no meu imaginário, decorriam jogadas mágicas em que o Livramento, na altura considerado o melhor jogador do mundo e o Ramalhete (guarda-redes) faziam dos adversários "miséria".

Na época, começaram a ser jogados no Rinque da Quinta Vigia, uns torneios da modalidade em que um dos grandes craques madeirenses era o jogador Solano. Aproveitando o seu convite, íamos todos em autêntica romaria ver os jogos. Por vezes, realizavam-se à noite onde uma assistência empolgante, delirava com as jogadas, os golos e a festa que se seguia após a finalização dos mesmos. Quanto ao nosso Solano Zamorano, era dentro e fora de campo, um poço de energia inesgotável. Tinha a preocupação de cativar a juventude para o desenvolvimento da modalidade na Madeira e só o seu carácter e a sua fé, poderiam ajudar os mais pequenos no desporto. Solano era a simplicidade em pessoa, sempre irrequieto como uma criança, sempre à procura de algo novo que conseguisse satisfazer a sua personalidade. Lembro-me muito bem que a sua figura esbelta, os seus penetrantes olhos azuis, derrubavam barreiras e emocionavam os seus fans.   

A Quinta Vigia era na época uma espécie de Pavilhão dos Desportos, com os campos de ténis o seu rinque multi-funções com as bancadas e uma pequena cobertura central. Desses tempos restam os heróis, do espaço não resta para mostrar às novas gerações, só algumas imagens fotográficas a fazer lembrar que ali já existiram momentos de glória no desporto madeirense. 

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

VARANDA


Neste país à beira-mar plantado, o meu mini jardim decidiu-se por florir em pleno Agosto. As framboesas de um lado e as bouganvíleas do outro concorrem entre si. As orquideas resolveram fazer greve...